Museu da imigração completa 31 anos

São Paulo

21/06/2024  

O Museu da Imigração (MI), instituição da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Estado de São Paulo, celebrará em 25 de junho 31 anos de existência, promovendo o diálogo entre passado e presente a partir de diversas camadas da temática dos deslocamentos humanos. Em comemoração, os visitantes poderão participar de diferentes atividades no decorrer da semana.

Localizado no complexo da antiga Hospedaria de Imigrantes do Brás, o museu resguarda a memória e a herança cultural dos primeiros imigrantes que desembarcaram em São Paulo, criando um forte laço com as múltiplas comunidades migrantes e descendentes da capital e do interior paulista. Além da preservação da memória local, a instituição passou a priorizar as discussões sobre os processos migratórios atuais, como a questão do refúgio e dos deslocamentos por eventos climáticos extremos. 

Olhando a diferença entre memória e atualidade, a programação de aniversário do MI traz atividades que transitam entre os temas. No sábado (22), às 10h, as crianças poderão participar da ação Caça-Livros, por meio de dicas escondidas no Museu. Além disso, o Núcleo Educativo promoverá duas visitas especiais, às 11h e às 15h, celebrando os 31 anos da instituição. Ele abordará a relação com a histórica Hospedaria e os processos migratórios na sociedade, trazendo uma perspectiva única que privilegia a preservação, a comunicação e a expressão do patrimônio cultural das várias nacionalidades e etnias que contribuem para a diversidade da formação social brasileira. 

Pensando na preservação de memórias pessoais, o MI convida o público a trazer até cinco fotografias do acervo pessoal para realizar uma oficina de conservação de fotografias. A atividade propõe que o visitante aprenda, de maneira acessível, a conservar fotografias em casa, apresentando os princípios de preservação indicados para tal objeto e ensinando a forma correta de manuseio e higienização das fotografias, além das opções de acondicionamento e guarda – incluindo digitalização das fotos. 

No jardim, um palco será montado para receber a apresentação do coletivo Forró das Minas, que destaca a pluralidade cultural do País, refletida nos processos migratórios entre Nordeste e Sudeste, com um repertório que exalta o forró pé de serra, a música e a cultura popular nordestina. 

Já na próxima terça-feira (25), a visitação ao museu será gratuita. A programação conta com as três exposições em cartaz: “Migrar: experiências, memórias e identidades; Mova-se!” “Clima e deslocamentos”; e “Pertencimentos transnacionais: movimentos e ritmos na música africana”. Na programação on-line, será promovido um bate-papo com a coordenação do MI sobre a história do museu, destacando marcos importantes, desafios enfrentados e conquistas alcançadas. Além do debate em volta do impacto do Museu da Imigração na sociedade paulista, haverá uma discussão sobre seu papel na promoção da diversidade cultural, na educação histórica e na construção de pontes entre diferentes comunidades.

Top